CULTO RACIONAL

CULTO RACIONAL

 

Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus que apresenteis os vossos corpos por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional (Romanos 12. 1).

 

Um pastor,  certo dia, chamou uma pessoa para conversar, e perguntou-lhe:  O que está acontecendo com você que nunca mais participou do culto? – Como pastor, se no domingo passado, e no outro  eu estava aqui! – O pastor respondeu - Certo! Você estava aqui no templo, mas não estava no culto!  - Como assim? - Se o seu coração, sua mente não estiver girando em torno do culto, você apenas estará presente no templo, mas ausente do culto.  - A referida pessoa, passava quase o tempo todo, voltado para as músicas no iPhone , interagindo com outras pessoas, procurando entretenimento, viajando mentalmente e desligando-se de Deus a quem deveria prestar o culto, com quem, à priori, demonstrava interesse de relacionamento.

 

Apesar da palavra culto  aparecer raramente no Novo Testamento, para designar a forma de culto que prestamos a Deus, no entanto, louvor, adoração, absorção da Palavra de Deus, aparece inúmeras vezes. São estas coisas apresentadas a Deus com fé, e de forma consciente, que caracteriza o verdadeiro culto racional.

 

A palavra – racional, no original grego é: lógicos, ou logiken/lógikos, ligada à logos, que expressa o princípio divino da razão universal. Culto racional, não quer dizer que seja uma devoção com base unicamente na razão humana, isso seria – racionalismo cristão, mas sim, que o culto seja prestado dentro do princípio da razão e do pensamento divino. Captar o pensamento de Deus sobre como devemos proceder na relação que devemos ter com ele é de fundamental importância, para que nossa atividade espiritual seja frutífera.

 

Sendo assim, o culto deve ser razoável, racional e espiritual, segundo os princípios de Deus. Para isto, é preciso ter a mente de Cristo/Logos, compreender os desígnios de Deus, para apresentar todos os membros do corpo, em sacrifício santo – ou seja, sacrifício separado e destinado para agradar a Deus, com base na tríplice dimensão cristã: Amor, fé e graça.

 

Com um coração voltado para cima, utilizamos de forma consciente, todos os meios possíveis que represente, gratidão, veneração, admiração, glorificação, louvor,  adoração e exaltação. Tudo isto é expresso no ambiente do culto coletivo e no culto individual. Se a pessoa acha, ou mesmo não tenha experimentado da dádiva Deus, por recusá-la, seu culto fica anulado. Aquele que vai ao templo, às reuniões, por razões - social ou religiosa, mas vive desprovido da verdadeira razão do culto e de sua importância para a vida cristã, vive no mundo religioso, mas na periferia da essência evangélica: O Teólogo Karl Barth escreveu: “O culto cristão é o ato mais importante, mais relevante e mais glorioso na vida do homem”. Usufrua deste benefício e privilégio!

 

Neste momento, enquanto você está lendo este artigo, talvez você esteja no  templo, mas o Espírito Santo está lhe convidando para entrar no culto. Portanto, siga as instruções da Palavra/logos, quanto ao culto. Ofereça o seu melhor! Desligue-se de tudo que eventualmente quer lhe prender - lá fora. Mantenha seu corpo, mente e espírito voltados para Deus e, sinta que Deus está presente no Seu templo, que é o seu corpo. Assim, você estará pronto para adorá-lo, no templo e fora dele, pois o importante não é onde, mas como devemos adorar. É exatamente isso que Cristo considera relevante: “os verdadeiros adoradores, adorarão em espírito e em verdade”. Assim o nosso Culto será racional, espiritual,  segundo Deus. O Deus trino deve ser cultuado com o trino humano: Corpo, alma e espírito.

 

F. Meirinho

www.prmeirinho.zip.net

http://ccalternativa.wordpress.com/

Facebook/F.Meirinho

Twitter/@F. Meirinho

Facebook/Comunidade Cristã Alternativa – Seu LIKE é bem-vindo!