VENCENDO O MEDO

VENCENDO O MEDO

Quem um dia, pelo menos, não tenha dito ou pensado – tive medo - . O medo, em certo sentido, compara-se ao colesterol: O medo bom e, o medo ruim. O medo bom é o medo congênito, que nos acompanha desde a mais tenra infância. Segundo alguns pensadores da ciência psíquica, do ponto de vista biológico, portamos apenas dois tipos de medos: o medo de cair e o medo de uma barulho repentino. Esses medos, levam-nos a agir de forma defensiva. Os demais medos são adquiridos, que passam de quinhentas modalidades e que podem se transformar em fobia.

Qual é o seu medo?

O medo quando que se torna fobia  paralisa a pessoa e a deixa em tensão, angústia, perturbação, tremores e calafrios; diante de objetos, lugares, animais e situações adversas, mesmo aquelas que são apenas imaginadas.

São esses medos adquiridos produtores dos mitos e dos fantasmas. A pessoa medrosa acaba associando sons, visão parcial, com algo, muitas das vezes irreal, que  se encarregam de dar forma aos medos. Como escreveu Horace Wapole: “Somos quase sempre as marionetes de nossos temores”.

São esses medos que nos angustiam, nos aprisionam e nos fazem sofrer, a exemplo do - transtorno de ansiedade social – ou fobia social, que impede o livre desenvolver, atrofia nossa relação social e nos encurrala para o isolamento e acabam frustrando os nosso sonhos.

Esses medos, que se apresentam diante de nós como grandes muralhas, é que somos convidados a transpor, suplantar, vencer.

A Bíblia é um livro de encorajamento da parte de Deus, mas mostra com freqüência o medo do homens:

1.     Em Seir terão medo de vós... (Dt 2. 4)

2.     Fugiu Jotão e foi para Beer com medo de seu irmão Abimeleque. (Jz 9. 21)

3.     Disse o chefe de dos Eunucos a Daniel: Tenho medo do meu senhor, o rei...(Dn 1. 10)

4.     É um fantasma. E gritaram com medo... (MT 14. 26)

Qual é o seu medo!

Você tem medo da vida, da morte, de gente, da doença, dos acidentes? Tem gente que tem medo, até do próprio medo. Apesar de o medo aparecer como sintoma de algo que passa no nosso interior, que revela o mundo ao nosso redor, somos convidados a vencê-lo.

Observamos que os discípulos, apesar de Cristo aparecer para  trazer socorro, porque estavam em grande aflição no meio da tempestade, tiveram medo, até daquele que veio para salvá-los. É um fantasma! – gritaram, como medo. Mas Cristo aproximou-se e disse. Não tenham medo – sou eu.

A melhor forma de vencer o medo é ter em nossa companhia aquele que venceu o pior medo – o medo da morte.

Aquele que a tudo venceu, sobreviveu, está vivo. Ele afirmou: Eis que estou com vocês até a consumação dos séculos.

Quem tem a mente de Cristo, subjuga a sua mente medrosa, na força da mente vitoriosa, que emana de Deus.  A partir dessa experiência vai, pela fé, rompendo, rompendo, até chegar ao nível desejável, onde as fobias são superadas, o medo equilibrado e a vida segue seu curso normal, mantendo os olhares voltados para o horizonte, com base no amor, na fé e na esperança.

 

F. Meirinho

www.prmeirinho.zip.net

http://fmeirinho.wordpress.com